Tropas Paraquedistas receberam novas viaturas utilitárias leves

12-02-2020

Toro MPAP do Exército Português / by Exército Português
Toro MPAP do Exército Português / by Exército Português

O MPAP pode ser facilmente aerotransportado e lançado sobre a área de operações e, por ser de reduzida envergadura, torna-se ideal para a unidade a que se designa, podendo ser facilmente ocultado e representando por isso uma mais valia para uma missão que se possa querer discreta.

O Exército Português está agora equipado com as novas viaturas utilitárias leves, aerotransportadas, designadas pelo ramo como Multipurpose Airborne Platform (MPAP), destinadas a equipar as Forças Paraquedistas.

Toro MPAP do Exército Português / by Exército Português
Toro MPAP do Exército Português / by Exército Português

Segundo ligação partilhada na página de facebook do Exército, as "viaturas caracterizam-se pela sua mobilidade e versatilidade, sendo facilmente aerotransportadas ou lançadas através de paraquedas, podendo acompanhar os militares Paraquedistas no cumprimento das operações aerotransportadas". O Exército estaria também a ministrar a "primeira formação das novas Viaturas MPAP".

O Portugal Defense News presume que as novas MPAP podem se designar a equipar concretamente o Batalhão Operacional Aeroterrestre, também conhecido pela a anterior designação BOAT, aquartelado no Regimento de Paraquedistas, em Tancos, responsável pela execução de diversas funções, tais como, mas não se restringindo, a operações de zona de lançamento, dobragem e manutenção de paraquedas e lançamento de cargas para abastecimento aéreo. Neste sentido, os veículos ligeiros, de aspecto meio frágil, pretendem-se portanto para funções presumivelmente logísticas, podendo ser úteis inclusive para desempenhar tais tarefas em meio a eventuais inserções de paraquedistas em teatro de operação real.

Força de Operações Especiais exercita-se com UTV´s MZRZ e moto 4 da Polaris / by Exército Português
Força de Operações Especiais exercita-se com UTV´s MZRZ e moto 4 da Polaris / by Exército Português

Os MPAP, da Toro, apresentam características que os tornam particularmente aptos para acompanhar operacionais no terreno, carregando equipamento e militares. Numa infiltração táctica, o MPAP pode ser facilmente aerotransportado e lançado sobre a área de operações e, por ser de reduzida envergadura, torna-se ideal para a unidade a que se designa, podendo ser facilmente ocultado e representando por isso uma mais valia para uma missão que se possa querer discreta.

Tradicionalmente, um paraquedista, quando inserido por exemplo por via aérea, tem de carregar às costas todo o equipamento e provisões de que necessita. A Força de Operações Especiais (FOE) do Centro de Tropas de Operações Especiais (CTOE), cujos membros são por vezes conhecidos por Ranger´s, também já conta, a título de exemplo, com veículos de similar função, pese embora que com aspecto bem mais táctico.

Antigos FAV´s que no passado serviram o Corpo de Tropas Pára-quedistas portugueses
Antigos FAV´s que no passado serviram o Corpo de Tropas Pára-quedistas portugueses

Tanto os fuzileiros da Marinha como o Centro de Tropas de Operações Especiais (CTOE) do Exército contam com as chamadas Viaturas Utilitárias Leves, em inglês designadas por Utility Task Vehicles (UTV). A Força de Operações Especiais do Exército, tem ao seu dispor pequenas quantidades de UTV´s MZRZ, assim como algumas unidades de moto 4, fabricados pela norte-americana Polaris. Estas viaturas são de extrema utilidade pois conferem facilidade no transporte, sendo ideais para as tarefas tácticas das unidades especiais.

Já o Destacamento de Acções Especiais (DAE) dos Fuzileiros da Marinha Portuguesa, conta com alguns "Traxter HD8" da canadense CAN-AM, assim como também algumas unidades de moto 4. O ramo estaria no entanto empenhado em adquirir veículos do mesmo modelo operado pelos colegas das Operações Especiais do Exército, visto ser um equipamento que provou ser ideal para missões em áreas remotas, em que é necessário extrema mobilidade, mas com capacidade de carga significativa, optimizado para operações militares todo o terreno, com facilidade em ultrapassar obstáculos e deslocar-se nos terrenos mais austeros.

Antigas ESARCO 6X6 que no passado serviram o Exército Português / foto via www.facebook.com/BoinasVerdesEParaQuedistas
Antigas ESARCO 6X6 que no passado serviram o Exército Português / foto via www.facebook.com/BoinasVerdesEParaQuedistas

De 1989 a 2011, os Paraquedistas contaram com os chamados Veículos de Ataque Rápido, Fast Attack Vehicles (FAV). Eram 6 e ao longo do tempo receberam diversos armamentos como lança granadas e metralhadoras médias e pesadas, assim como alterações "caseiras" que lhes permitiam transportar um terceiro militar. Os paraquedistas, no passado, também tiveram ao seu dispor um modelo muito semelhante ao agora adquirido. Eram as Esarco 6x6, desenhadas essencialmente para o transporte de carga, rebocando inclusivamente morteiros para rápido posicionamento após inserção por paraquedas.

Traxter HD8, idêntico ao modelo actualmente em uso pelo Destacamento de Ações Especiais da Marinha
Traxter HD8, idêntico ao modelo actualmente em uso pelo Destacamento de Ações Especiais da Marinha


Artigo sujeito a edição...


Portugal Defense News ...and Global

Últimos artigos 

 

O MPAP pode ser facilmente aerotransportado e lançado sobre a área de operações e, por ser de reduzida envergadura, torna-se ideal para a unidade a que se designa, podendo ser facilmente ocultado e representando por isso uma mais valia para uma missão que se possa querer discreta.

Saiba quais as missões e onde estão e estarão projectados os militares portugueses dos três ramos das Forças Armadas no ano de 2020.