KC-390: Fabricado o primeiro painel de fuselagem a ser inserido em futura aeronave portuguesa

24-01-2020

Embraer/Boeing C-390 Millennium / Embraer
Embraer/Boeing C-390 Millennium / Embraer

Informação avançada pela OGMA aquando da visita às instalações do Chefe de Estado-Maior da Força Aérea, General Joaquim Borrego.

O primeiro painel a ser integrado à fuselagem central do primeiro de cinco aviões KC-390 Millennium, a serem entregues à Força Aérea Portuguesa, já foi fabricado pela OGMA. A informação foi disponibilizada no site da empresa, aquando da visita do Chefe do Estado-Maior da Força Aérea, General Joaquim Borrego.

Portugal, Brasil, Republica Checa e Argentina, constituem o grupo de países parceiros no desenvolvimento e construção daquele que é o maior avião militar da "Embraer Defesa". A secção dianteira da fuselagem, asas, secção intermediária, estabilizadores vertical e horizontal, estão a cargo brasileiro, junto com a integração dos comandos de voo, softwares, aviónicos e outros equipamentos como os trens de pouso. Portugal, por meio da OGMA, parte integrante do grupo Embraer (com os brasileiros a deterem 65% da empresa), está encarregue, maioritariamente, de fornecer a secção central da fuselagem, leme de profundidade e portas do trem de pouso principal (sponson). Argentina e Republica Checa são responsáveis pelas portas do trem de pouso dianteiro, portas dianteiras e traseiras, rampa de acesso, flaps, cone da cauda e secção traseira da fuselagem.

KC-390 com as cores da Força Aérea Brasileira lança "Chaff" e "flare´s" / FAB
KC-390 com as cores da Força Aérea Brasileira lança "Chaff" e "flare´s" / FAB

Para além da OGMA e de outras 16 empresas lusas, também a portuguesa EEA - Empresa de Engenharia Aeronáutica, maioritariamente detida pela CEIIA, esteve inserida nos trabalhos de projectar a aeronave, com mais de 250 mil horas de engenharia, com equipas permanentes, desenhando e realizando cálculos de resistência estrutural dos sponson, leme de profundidade e fuselagem, num total de 1600 peças. Portugal está assim envolvido em diversas áreas, desde software, desenvolvimento, certificação, testes e produção.

O Boeing Embraer C-390 Millennium é um avião bimotor a jacto, de médio porte, desenvolvido pela fabricante brasileira Embraer, para funções de transporte aéreo militar. A primeira aeronave foi entregue em Setembro de 2019, para a Força Aérea Brasileira.

KC-390 com as cores da Força Aérea Brasileira / FAB
KC-390 com as cores da Força Aérea Brasileira / FAB

O nome KC/C-390 "Millennium", tem origem com o estabelecimento de uma Joint-Venture entre a americana Boeing e a fabricante brasileira, união essa que estabeleceu a criação de uma empresa com o objectivo concreto de vender e publicitar o cargueiro no mercado internacional. A Boeing Embraer - Defense é detida em 49% pela Boeing e 51% pela Embraer, sendo que nenhum parceiro previamente integrado no projecto terá sido afectado com o negócio.

No início de 2019, 80% da divisão comercial da Embraer também foi absorvida pela Boeing. A Embraer, como empresa de aviação comercial e civil, deixará de existir e está extinta com tal nome, o negócio prevê que a Boeing cative 80% da nova Joint-Venture, o que lhe dá completa independência de decisão. 

Quanto ao que resta da Embraer propriamente dita, a empresa continuará a operar nos mercados de defesa, aviação executiva e agrícola. Mas embora a divisão Embraer Defesa&Segurança continue a persistir, ambos os seus principais projectos contam com influência norte-americana, isto porque para além da Boeing ter assinado com a Embraer a Joint-Venture que prevê uma participação de 49% na comercialização do KC-390, também o A-29 Super Tucano, avião de ataque leve que representa um dos grandes sucessos brasileiros na aviação militar, é agora comercializado pela igualmente americana Sierra Nevada Corp, sendo vendido inclusivamente sem a designação da empresa brasileira.

KC-390 com as cores da Força Aérea Brasileira lança "Chaff" e "flare´s" / FAB
KC-390 com as cores da Força Aérea Brasileira lança "Chaff" e "flare´s" / FAB

A Boeing Embraer - Defense, a encarregue de comercializar o "Millennium", estabeleceu que a versão convencional do avião seria denominada de C-390 e que a designação "KC" ficaria reservada para modelos que mantivessem a capacidade de abastecimento em voo. Ao que tudo indica e considerando o momento cronológico desta decisão, os aviões que serão entregues a Portugal deverão manter a designação inicial e, por isso, também se pressupõe que mantenham a referida capacidade.

Portugal irá receber o primeiro de cinco aviões em 2023, com entregas anuais de uma unidade até 2027. É parte integrante de um contrato assinado a 22 de Agosto, no valor de 827 milhões de euros, que inclui não só a compra dos aparelhos e um simulador, como também agrega a manutenção das aeronaves durante 12 anos. Inclui também a contratação de serviços de sustentação logística e aquisição de equipamentos à parte, como no caso da suite de guerra electrónica, contratada às fabricantes israelitas Elbit Systems e Elisra. No contrato fica também a aquisição, à IAE (International Aero Engines), dos serviços de sustentação para os motores; aquisição ao Governo dos Estados Unidos dos equipamentos a fornecer pelo Estado Português à Embraer para instalação nas aeronaves; adaptação de infraestrutura, assim como a aquisição de equipamentos de apoio no solo. Em rigor, o contrato cobre a manutenção das aeronaves durante todo o seu ciclo de vida, sendo que a limitação de 12 anos está directamente ligada ao período de vigência da mais recente Lei de Programação Militar.

KC-390 com as cores da Força Aérea Brasileira / FAB
KC-390 com as cores da Força Aérea Brasileira / FAB


artigo sujeito a edição

Última actualização a 25/01/2020 - alteração estrutural do 7.º parágrafo

Portugal Defense News ...and global

O C-130, um dos principais meios de projecção da política externa portuguesa

Foi há cerca de 42 anos, a 15 de Setembro de 1977, que a Força Aérea Portuguesa introduziu os aviões Lockheed C-130 Hércules, de transporte aéreo militar, ao serviço. Desde então, têm sido o principal meio de projecção estratégica de Portugal, apoiando cidadãos em áreas de crise que necessitem de evacuação, bem como projectando e extraindo militares, assim como material, das forças portuguesas destacadas no estrangeiro.

O C-130 é o maior e mais carismático avião da Força Aérea Portuguesa. Actualmente, passaram já a marca de 80.000 horas de voo, ocupados no transporte de carga e de mais de 1 milhão de passageiros para todas as regiões do mundo. (...)

Americana Boeing estava em conversações desde 2017 para adquirir a divisão comercial da Embraer.

Dezembro de 2017, vem a público que a gigante aeronáutica Boeing estaria em conversações para cativar a empresa brasileira Embraer em todos os seus sectores. A americana Boeing e a Embraer do Brasil corroboram o informação, na altura noticiada pelo "Wall Street Journal".

No sector político tal possibilidade não é bem recebida e no mesmo mês, Michel Temer, o então presidente do Brasil, diz que a venda está fora de questão, alegando a importância estratégica da empresa brasileira e informando que apenas parcerias seriam aceites. O Ministro da Defesa, na altura Raul Jungmann, também se opõe, dizendo que a Embraer tem sectores de extrema importância, de interesse nacional e que uma das divisões mais estratégicas, a Embraer Defesa&Segurança, nunca poderia ficar fora do controlo brasileiro. (...)

 

Últimos artigos 

 

O MPAP pode ser facilmente aerotransportado e lançado sobre a área de operações e, por ser de reduzida envergadura, torna-se ideal para a unidade a que se designa, podendo ser facilmente ocultado e representando por isso uma mais valia para uma missão que se possa querer discreta.

Saiba quais as missões e onde estão e estarão projectados os militares portugueses dos três ramos das Forças Armadas no ano de 2020.