Valor da Bell demonstra capacidades em baixa velocidade

23-05-2019

Bell V280 Valor/ foto: autor desconhecido
Bell V280 Valor/ foto: autor desconhecido

O V-280 Valor está a ser desenvolvido pela Bell e Lockheed Martin como parte do programa "Future Vertical Lift" (FVL) do Exército dos Estados Unidos.

A 5 de Junho de 2013 a Bell Helicopters anunciou que o seu conceito V-280 Valor tinha sido escolhido para a Fase de Demonstração de Tecnologia do programa FVL (Future Vertical Lift). 

Classificado pela instituição militar como proposta de categoria I, o V-280 da Bell estava agora posicionado como pertinente para o programa de metas e objectivos do Exército, com boa aplicabilidade, bem concebido e cientificamente e tecnicamente sólido.

No ano a seguir em Agosto, o exército informou a equipa da Bell, agora em parceria com a Lockeed desde 2 de Outubro de 2013, que o seu projecto, junto com o conceito SB-1 Defiant da Boeing e Sikorsky, tinha sido escolhido para proceder para a fase seguinte do "Joint Multi-Role Technology Demonstrator" ou "Demonstrador de Tecnologia (para o próximo helicóptero) Multi-Função". As empresas passariam agora para a construção dos primeiros protótipos, que deveriam começar testes de voo em 2017.

Foi nesse ano, em Fevereiro, como previsto, que o primeiro protótipo começou os primeiros testes no solo e em Dezembro realizou o seu primeiro voo, inicialmente de forma limitada, mais tarde em testes de maior exigência com maior número de horas de voo e maiores velocidades.

V-280 Valor numa eventual versão "gunship", de ataque
V-280 Valor numa eventual versão "gunship", de ataque

Em Janeiro de 2019, passado um ano de testes de voo, a aeronave já tinha atingido a sua meta de 520Km/h, em Março os 556Km/h. O envelope deveria ser expandido em cronogramas de testes mais agressivos de forma a aumentar o limite de velocidade e a agilidade a baixa velocidade.

Esses testes de agilidade a baixas velocidades foram realizados neste presente mês de Maio, antes do previsto, com a Bell a relatar comportamento positivo da aeronave. 

"Este último marco de voo, demonstra que o V-280 oferece agilidade em baixas velocidades sem sacrifícios significativos de autonomia e capacidade de carga, tão úteis para as operações de múltiplos domínios das Forças Armadas". -Ryan Ehinger, gerente do programa V-280 da Bell. 

 Segundo a Bell, o V-280 deverá ser capaz de se apresentar como uma opção para um futuro helicóptero utilitário, mas também de ataque, propondo mesmo que uma mesma variante possa, quando necessário, ser adaptada para as diferentes missões sem grandes alterações estruturais. O corpo de fuzileiros navais estaria interessado nesta opção, ter uma aeronave para substituir não só os seus meios utilitários de asa rotativa como também os destinados às funções de helicóptero de ataque, já o Exército diz que não está interessado em tal proposta, ao invés disso prefere plataformas dedicadas. 

Independentemente disso, a Bell e a sua parceira Lockheed já informaram que o Valor deverá ser capaz de cumprir ambas as missões, seja de forma mais ou menos dedicada; terá capacidade para o lançamento de "rockets", mísseis e mesmo "drones", independentemente do modo de voo utilizado, esteja o aparelho com os seus rotores "para a frente" ou em posição convencional. 

Características Gerais

  • Tripulação: 4
  • Capacidade: 14 tropas
  • Comprimento: 15,4 metros
  • Largura: 24,93 metros
  • Altura: 7 metros
  • Peso Vazio: 15.000 Kg
  • Peso Máximo de Descolagem: 26.000Kg
  • "PowerPlant": Dois "turbocompressor General Electric T64"
  • Diâmetro das pás: 11 metros
  • Velocidade de Cruzeiro: 519km/h
  • Raio Máximo de Combate: 1.482Km
  • Alcance: 3.889Km
  • Tecto de Serviço: 6.000pés/1.800 metros


_______________

Future Vertical Lift

As Forças Armadas dos Estados Unidos da América emitiram, em 2008, um projecto intencionado a promover o desenvolvimento de novos conceitos de helicópteros destinados a substituir, por completo, todos os modelos actualmente em operação pelas Forças Armadas.

Os novos helicópteros deverão ser capazes de realizar todas as missões actualmente desempenhadas e ainda providenciar maior mobilidade, velocidade e autonomia.

Nesse sentido, as empresas envolvidas deverão apresentar propostas para suprir as funções do UH-60 Black Hawk da Sikorsky, AH-64 Apache e CH-47 Chinook da Boeing, e OH-58 Kiowa da Bell.

Resumidamente, deverão ser escolhidos um ou mais conceitos, que poderão mais tarde ser fabricados ou não, para os papéis de "helis" ligeiros, médios-ligeiros, médios, pesados e "ultras".

  • Os helis ligeiros deverão desempenhar as missões do OH-58 Kiowa no reconhecimento táctico, ataque directo e funções utilitárias.
  • As aeronaves de porte médio-ligeiras deverão ser utilitárias, para transporte, evacuações, entre outras funções básicas.
  • O conceito ou conceitos apresentados para helicóptero médio deverão ser capazes de preencher as funções do UH-60 Black Hawk e AH-64 Apache.
  • Os pesados deverão substituir o também pesado Chinook nas funções de transporte.
  • E finalmente, os conceitos "Ultra", que pretendem o desenvolvimento de uma plataforma com capacidades idênticas a de uma aeronave de asa fixa de performances semelhantes a de um C-130 ou de um A-400M Atlas, mas capazes de se equiparar na aterragem e descolagem a uma aeronave de asa rotativa.

No total estima-se que o programa "Future Verical Lift" (FVL) resulte no desenvolvimento e construção de plataformas para a eventual substituição de 25 tipos diferentes de aeronaves movidas a rotor.


Portugal Defense News ...and global


Mais Recente

"Operação Primavera de Paz", também denominada "Fonte de Paz", é mais um capítulo na guerra da Síria que assola o país desde 2011. A invasão turca tem o potencial de alterar, mais uma vez, o mapa político e étnico na região.